Doença Periodontal

Tempo de leitura: 2 minutos

doença periodontal

     Dentre os fatores etiológicos mais comuns das doenças periodontais podemos considerar o fumo, o estresse, a depressão, a higiene bucal inadequada, hábitos culturais e estilo de vida, condições econômicas e sociais e dificuldade de acesso aos serviços de saúde. A doença periodontal e apontada como a sexta maior complicação do diabetes mellitus.

Complicações respiratórias e cardiovasculares, bem como a ocorrência de partos prematuros e bebês de baixo peso ao nascer também estão associadas a inflamação periodontal.

A doença periodontal e uma doença infecto-inflamatória que acomete os tecidos de proteção (gengiva) e sustentação (cemento, ligamento periodontal e osso alveolar) dos dentes. Caracteriza-se pela perda de inserção do ligamento periodontal e destruição do tecido ósseo adjacente, podendo levar a mobilidade e a perda dentária.

Seu desenvolvimento corre em função do desequilíbrio entre as ações da agressão bacteriana sobre esses tecidos e a defesa do hospedeiro, tendo como principal fator determinante o biofilme dentário.

Essa doença tem o seu desenvolvimento acelerado em pacientes portadores de doenças metabólicas (diabetes, hipertensão e alterações hormonais), imunossuprimidos e fumantes. A doença periodontal se constitui, atualmente, em um importante fator de risco para parto prematuro, nascimento de crianças com baixo peso, doenças vasculares e cardíacas .

A doença periodontal pode ser prevenida por meio de ações que visem a promoção da saúde, o controle dos fatores de risco, acesso aos serviços de saúde, remoção de biofilme e cálculo.

Orientações específicas

  • Fumantes apresentam maior velocidade de progressão da doença periodontal e maior risco de perda dentária; portanto, deve-se enfatizara importância da redução do fumo para manutenção da saúde geral e bucal.
  • As manifestações bucais comuns em diabéticos não controlados são xerostomia, sensibilidade dolorosa na língua, alteração no paladar, modificação da flora bucal com tendência a candidíase e queilite angular e doença periodontal. O tratamento odontológico do diabético deverá ser priorizado e a higiene bucal, criteriosa, pois as infecções agudas e condições inflamatórias podem aumentar a taxa de glicose.

A abordagem multidisciplinar e fundamental, assim como a troca de informações entre os profissionais de saúde quanto a gravidade da doença, grau de controle, ajuste na dose de medicamentos e recomendações nutricionais.

As manifestações bucais da tuberculose são lesões do tipo verrucoso, ulcerativo ou nodular e geralmente ocorrem na base da língua, em função de microorganismos presentes no escarro. Pode ser um fator de risco para a doença periodontal, em função da diminuição imunológica aos fatores irritantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *