Eritema Multiforme

Tempo de leitura: 2 minutos

<img src="eritema-multiforme.jpg" alt="Eritema Multiforme" />

Eritema multiforme (EM), uma desordem mucocutânea, que se caracteriza pela destruição de pequenos vasos sanguíneos próximos a camada basal do epitélio, ocorrendo com prevalência em adultos jovens, mas pode acometer crianças.

É uma reação imunológica na pele e mucosa, frequentemente mediada por imunocomplexos circulantes a inúmeros estímulos antigênicos. Atualmente, incluem diversas expressões clínicas, desde exclusivas da mucosa bucal até lesões cutaneomucosas, algumas vezes envolvendo múltiplas membranas de mucosa ou acometendo largas áreas da superfície corpórea .

Sendo aguda, auto limitada e de baixa morbidade, causada, geralmente, por uma hipersensibilidade a certas infecções, associada frequentemente com herpes simples, tuberculose, histoplasmose e micoplasma.

São placas eritematosas (avermelhadas), bolhas e lesões em alvo (anéis eritematosos concêntricos separados por anéis de coloração quase normal), localizadas geralmente nas extremidades. Entre 25 e 50% dos pacientes com EM cutâneo apresentarão manifestações bucais. Nesta localização, geralmente, apresenta-se como doença ulcerativa, afetando mais frequentemente, lábios, mucosa jugal (bochechas), palato e língua. As lesões recorrentes podem aparecer como úlceras dolorosas múltiplas, semelhantes ao episódio inicial, ou como placas eritematosas  menos sintomáticas com ulceração limitada.

Há uma forma variante maior do EM, a síndrome de Stevens-Johnson forma esta, mais grave, que pode ocorrer envolvendo, simultaneamente, boca, olhos, pele, genitália e, por vezes, esôfago e trato respiratório . Representa uma desordem imune mediada por complexos de hipersensibilidade, a qual 3-15% dos portadores de formas graves da doença morrerá, sendo mais comum em mulheres entre a segunda e quarta década . Os sinais e sintomas, nesta síndrome, são mais expressivos, os lábios podem ficar coberto por crostas, e as lesões bucais causar dor intensa. As drogas são a etiologia mais comum nesta síndrome, com 50% dos agentes causadores identificados. As mais comuns são a carbamazepina, ação prolongada da combinação de sulfadoxina e pirimetamine.

Conclui-se que existe, no nosso meio, uma prevalência considerável de doenças dermatológicas de origem autoimunes e que o grau de morbidade das mesmas são variáveis. As manifestações bucais desempenham papel fundamental para o diagnóstico precoce destas doenças, sendo imprescindível o conhecimento dos Cirurgiões-dentistas sobre estas afecções, as quais, muitas vezes, ocorrem primariamente na cavidade bucal, o que favorece o diagnóstico numa fase inicial da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *