Você tem medo de dentista?

Tempo de leitura: 15 minutos

alt="medo de dentista"

Entendendo seu medo de dentista

Eu sou formada há 22 anos e amo muito minha profissão. Gosto de conversar com meus clientes sobre o principal motivo da situação de saúde bucal atual. Infelizmente, muitas histórias são semelhantes. Alguns pacientes relatam que têm medo de dentista porque tiveram os dentes extraídos na infância ou adolescência devido à falta de conhecimento e/ou situação financeira precária dos pais. Outros pacientes portadores de próteses totais relatam que moravam em região rural, e quando iam pra “cidade”, os pais aproveitavam para levá-los a um dentista que geralmente eram práticos, sem formação profissional. E isso acarretava na extração precoce de dentes que poderiam ter sido salvos…

Felizmente essa situação mudou! Devido ao maior acesso à informação, as pessoas estão mais conscientes da importância de sua saúde bucal. Os dentistas também são orientados, desde a faculdade, a oferecer procedimentos preventivos ao invés de somente restauradores. Isso é o que chamamos de “promoção de saúde bucal”.  Dessa forma, pacientes que sofreram grandes traumas no passado possam se sentir seguros frente a um profissional de confiança!

Veja agora o que fazer caso você ainda tenha medo de dentista.

1) Lembre-se de que ter medo de dentista é normal. Não há nenhuma razão para ficar envergonhado por isso. Muitas pessoas ao redor do mundo compartilham do problema. Esse medo não deve impedir que você tenha acesso a um bom atendimento odontológico, caso contrário, sua saúde bucal e geral podem ser prejudicadas gravemente.

  • É recomendado visitar um dentista duas vezes por ano para manter a sua saúde bucal.
  • Não ir ao dentista regularmente pode causar a cáries, abscessos,, mau hálito, doença periodontal e perdas dentárias. Essas condições podem prejudicar a sua qualidade de vida!

2) Escreva seus medos específicos. Algumas pessoas podem não admitir que têm odontofobia. Para superar esse medo, escreva uma lista do que lhe causa ansiedade quando você for ao dentista.

  • Você pode nem mesmo estar ciente dos seus medos específicos até começar a pensar sobre eles.  Você pode chegar à conclusão que não são os procedimentos que o assustam, mas o seu dentista em si. Este é um medo fácil de superar, basta procurar um novo profissional que tenha como princípio a “humanização” no atendimento.
  • Leve sua lista ao dentista para discutir seus medos com ele. Ele provavelmente pode oferecer soluções para quaisquer que sejam os seus motivos de ansiedade.

3) Descubra a causa dos seus medos. O medo é muitas vezes compreendido por meio da experiência ou memória.  Identificar as fontes da sua odontofobia pode ajudá-lo a tomar medidas proativas para superar seu medo de dentista.

  • Pensar nas experiências específicas que podem ter contribuído para o seu medo de dentista e neutralizá-las com experiências positivas pode ajudá-lo a entrar no estado de espírito ideal para começar a superar sua fobia. Por exemplo, se você teve um tratamento de canal ou uma cárie dolorosos, pense nos benefícios que terá ao livrar-se dessa dor ou desconforto. E no quanto ficará satisfeito pela aquisição da estética bucal tão sonhada!
  • Se você não conseguir identificar uma experiência específica que possa ser a fonte do seu medo, esse medo pode ter sido causado por histórias de outras pessoas, como amigos e familiares que tiveram uma experiência ruim com dentistas. Algumas pessoas gostam de “exagerar” sobre o que aconteceu, simplesmente para chamar a atenção. Outras podem até estar falando a verdade, nesse caso, procure a indicação de outro profissional recomendado. É importante salientar que o perfil psicológico do paciente influencia muito no resultado do tratamento. Por isso, nós cirurgiões-dentistas, devemos ter conhecimento de como agir em cada situação.
  • Então, pense sobre as “fontes” dos seus medos. Só conseguimos perder um “trauma” quando aprendemos a enfrentá-lo. Novas experiências agradáveis farão com que você supere de vez esse medo!

4) Reconheça que os procedimentos odontológicos melhoraram consideravelmente.Antes de tomar medidas concretas para visitar o consultório do dentista para tentar ajudar a superar o seu medo, é importante compreender que os procedimentos odontológicos evoluíram muito nos últimos anos. Estamos longe dos dias em que se usavam brocas e motores “medievais”, grandes agulhas anestésicas (hoje utilizamos agulhas curtas com pontas de silicone e pomadas tópicas mais eficientes) e grandes quantidades de anestésicos (hoje eles são mais efetivos e seguros em pequenas doses). Reconhecer as melhorias dos tratamentos dentários pode ajudar a aliviar seus medos. Por isso converse sempre com seu dentista, principalmente durante a primeira consulta.

  • Há vários métodos novos para o tratamento de problemas dentários. Os motores de alta rotação estão muito mais silenciosos, pois os mais modernos possuem rolamentos cerâmicos. Há métodos de remoção da área infectada por cárie através do laser de alta potência.
  • Muitos dentistas estão se conscientizando em deixar seus consultórios com um aspecto mais  agradável e relaxante. O uso de cores mais suaves , som ambiente adequado e fragrâncias para remover odores típicos dos medicamentos utilizados são cada vez mais frequentes.

Encontrando um dentista

1) Localize o dentista certo para você. Ele pode ser fundamental durante todo o seu tratamento. Se ele não for simpático e receptivo, ou tende a ser muito clínico, isso pode piorar quaisquer medos que você possa ter. Encontrar o profissional ideal pode ajudá-lo significativamente a superar o seu medo de dentista.

  • A melhor maneira de encontrar um bom profissional para você é por meio de indicações de amigos e familiares. As pessoas não costumam recomendar um dentista com o qual não se sentiram muito confortáveis. Há vários profissionais com uma habilidade técnica excelente e que muitos pacientes reclamam que têm a “mão pesada”. Isso é muito comum, ouço também queixas que o dentista é muito “frio”, que quase não ouve e sempre está com pressa…
  • Você também pode ler os comentários a respeitos dos dentistas na internet, jornais ou revistas médicas.

2) Agende uma consulta com alguns dentistas. Marque consultas com alguns dentistas para ajudá-lo a encontrar o profissional certo para você. Conhecer alguns dentistas e discutir sua saúde e seus medos  pode ajudá-lo a se sentir confortável com um profissional que possa lidar com suas preocupações sobre o assunto.

  • Faça perguntas e discuta os seus medos. Tenha sua lista de medos em mão para garantir que você não esqueça de nada.
  • Garanta os dentistas levem você e seus medos a sério. Não aceite o primeiro caso você não se sinta à vontade; isso pode até piorar os seus medos.
  • Mas saiba que um bom profissional irá cobrar o valor de uma consulta. É preciso fazer uma anamnese (questionário de saúde) detalhada e conversar com você sobre vários aspectos gerais além de um exame clínico detalhado. E isso é um pouco demorado, por isso que o paciente deve perder esse hábito de não querer pagar consulta porque só “quer dar uma olhadinha”. Se você não valoriza o profissional dificilmente receberá o seu valor devido, isso é o que chamamos de reciprocidade! E influencia muito na diferenciação de um atendimento personalizado ou não.

3) Agende consultas frequentemente. Depois de encontrar seu dentista ideal, marque diversas consultas conforme o plano de tratamento. Comece com procedimentos simples, como uma limpeza dos dentes para sentir-se mais confiante. Depois ele vai começar os mais urgentes, como tratamento de canais. Fique tranquilo pois ele fará de tudo para que você tenha uma boa experiência!

  • Isso vai ajudá-lo a construir uma relação de confiança com o seu dentista!

4) Se não estiver confortável com qualquer coisa, fale com seu dentista sobre como parar o procedimento para que você se acalme um pouco. 

  • Quanto mais vezes você visitar o dentista e ter experiências positivas, maiores são as chances de você manter a sua saúde bucal e superar sua “odontofobia”.
  • Se possível, marque consultas em horários nos quais as chances de você ter de esperar para ser atendido sejam menores. Ser o primeiro paciente do dia é uma boa alternativa. Uma vez que, mesmo que o dentista não costume atrasar, podem ocorrer alguns imprevistos na consulta anterior que atrasem um pouco o seu atendimento na hora certa. Para o dentista, o cliente mais importante é o que está na cadeira! Não adianta ficar apressando com reclamações à secretária, se coloque no lugar do outro. Você gostaria de ser atendido com pressa só porque tem outro cliente esperando? A pressa é inimiga da perfeição, lembre-se sempre disso!

Gerenciando seus medos durante a consulta

1) Comunique-se com o seu dentista. A base de qualquer bom relacionamento médico-paciente é uma comunicação eficaz.  Falar com o seu dentista antes, durante e após os procedimentos pode ajudar a minimizar seus medos. 

  • Fale com o seu dentista antes do procedimento sobre quaisquer medos ou preocupações que você possa ter. Você também pode pedir que ele explique o procedimento antes de começá-lo.
  • Peça a ele para mantê-lo informado durante toda a consulta. Lembre-se de que você tem o direito de saber o que está acontecendo.
  • Mas evite ficar interrompendo-o. Combine um sinal de levantar a mão esquerda para que possa falar. Muitos pacientes não sabem, mas um bom profissional também se sente mais confortável com aqueles clientes que confiam em seu profissionalismo. Pacientes que interrogam muito mostrando desconfiança, produzem um clima negativo na relação profissional-paciente. O normal é irmos falando o que estamos fazendo, mas sem sermos interrompidos com grande frequência. Depois que você pegou confiança no profissional , não tem por que mostrar insegurança. Seu tratamento será mais rápido e confortável se você colaborar durante o atendimento!

2) Crie um roteiro dos procedimentos que o assustam. Enfrentar um medo pode fazer com que qualquer pessoa perca a confiança e evite uma situação. Use a tática comportamental de criação de um roteiro antes da sua consulta para ajudá-lo a se envolver com situações assustadoras e minimizar seu medo de dentista. 

  • A criação de um roteiro é uma técnica na qual você cria e segue um plano para uma situação específica. Por exemplo, se você está com medo de uma limpeza nos dentes, fale ao seu dentista. Há várias técnicas utilizadas para que você não sinta dor, caso tenha sensibilidade nos dentes. Mas se ele(a) for um bom profissional, já vai lhe perguntar isso antes do atendimento.

3) Enquadre os procedimentos odontológicos em termos simples. Se você teme a visita a um dentista ou um procedimento específico, enquadre-os em termos simples. Enquadramento é uma técnica comportamental que pode ajudá-lo a moldar a forma como você pensa e sente sobre situações específicas, tornando-as comuns e banais. 

  • Se tiver medo de ir a uma consulta limpar seus dentes, você pode reenquadrá-la como “este é um procedimento rápido, como escovar os dentes.”
  • Trabalhar com unidades menores e mais gerenciáveis pode ajudá-lo a superar todos os medos.
  • Seja sempre positivo e se quiser pode fazer seu tratamento em sessões mais curtas.

4) Adote técnicas de relaxamento. O relaxamento pode ajudá-lo a ter uma experiência mais agradável no dentista e minimizar seus medos. A partir de exercícios, de medicação específica e de técnicas de respiração,  você pode usar para gerenciar seus medos.

  • Muitos dentistas sugerem o uso de óxido nitroso, sedativos  como alprazolam, diazepan,  para ajudá-lo a relaxar durante a sua consulta.
  • Alguns deles podem fornecer antes da consulta esses medicamentos caso você esteja muito nervoso antes do procedimento a ser realizado.
  • Se você toma qualquer tipo de ansiolítico, que não foi prescrita pelo seu dentista, deixe-o ciente antes de iniciar um tratamento para garantir que não haja quaisquer interações perigosas entre medicamentos.
  • Esteja ciente de que o uso desses medicamentos durante um procedimento pode ser mais caro e o convênio odontológico pode não cobrir.
  • Experimente exercícios de respiração para tentar relaxar. Você pode respirar ritmicamente a uma contagem de 4 segundos de inspiração a 4 segundos de expiração. Se ajudar, pense nas palavras “vai” ao inspirar e “passar” ao expirar para ajudar sua mente a liberar o seu medo.
  • Se necessário, dobre a quantidade das suas técnicas de relaxamento.
  • Num ambiente calmo, acolhedor´, agradável e amigável, com certeza você verá que todo esse medo era somente criação em sua mente. Muitos pacientes me relatam que se soubessem que o tratamento era tão simples teriam vindo antes! Então, pra quê ficar adiando a sua oportunidade de voltar a sorrir com mais confiança?

5) Distraia-se com diferentes meios de comunicação. Você pode usar uma variedade de diferentes meios de comunicação para ajudar a se distrair durante a visita ao dentista. Escutar música ou assistir televisão no consultório do dentista, caso seja possível, pode ajudar a relaxar e minimizar seus medos. 

  • Muitos dentistas possuem leitores de MP3, televisores e tablets que são oferecidos aos pacientes para ajudar a distraí-los.
  • Se o seu dentista não oferece nada disso, peça pra ele colocar sua música favorita, que seja de preferência calma.
  • Também é possível usar uma bola antiestresse para ajudar a se distrair e relaxar, a qual você pode ficar apertando com as mãos.
  • Eu particularmente não gosto que leiam livros, acessem celulares, televisão ou tablets durante a consulta. Pois o paciente podem se distrair e mover a cabeça sem querer, o que pode causar um acidente. Eu fiz curso de hipnose, e já utilizei essa técnica em vários pacientes que relataram fobia com o barulho do motor (alta-rotação) ou medo da agulha. É muito gratificante quando um paciente diz “Já anestesiou?” . Com muito carinho e paciência conseguimos realizar uma técnica anestésica totalmente confortável!

6) Leve um amigo ou familiar com você ao dentista. Considere pedir a um amigo ou membro da sua família para acompanhá-lo ao dentista. Ele pode ajudar a distraí-lo e acalmá-lo antes de uma consulta.

  • Se você estiver extremamente ansioso, pergunte ao dentista se o seu amigo pode acompanhá-lo até a sala. Saber que uma pessoa de confiança está na sala com você pode ajudá-lo a relaxar. Contando que essa pessoa fique sentada afastada da cadeira, pois pode atrapalhar o atendimento fazendo muitas perguntas ou atrapalhando o campo de visão do profissional.

7) Visite um dentista regularmente e evite problemas dentários graves. Muitas pessoas temem ir ao dentista devido a procedimentos complicados e muitas vezes dolorosos, como um tratamento de canal. Ao fazer limpezas regulares, você não só vai ajudar a si mesmo a superar o seu medo, mas também vai evitar problemas bucais graves.

  • Cuide de sua saúde bucal diariamente para não correr o risco de precisar de procedimentos complicados. Escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia e usar o fio dental pode podem ajudá-lo a prevenir problemas bucais.
  • Quanto mais vezes você fizer “checkups” que forem positivos, mais rápido você pode superar seu medo do dentista.
8) Comemore a cada consulta positiva. Após uma consulta, comemore comprando algo que você queira ou fazendo algo divertido, como um passeio em um local agradável que seja perto do consultório. Isso pode ajudá-lo a associar visitas ao dentista com recompensas, em vez de medo.

Dicas

  • Mantenha uma atitude positiva. Lembre-se que você está consultando um dentista para ajudá-lo a manter sua saúde bucal e sua autoestima.
  • Ao visitar o dentista, verifique se você está calmo e relaxado. Deixe o dentista fazer o que ele tiver que fazer. No final, você terá seus dentes saudáveis o que lhe trará maior autoconfiança e eficiência mastigatória!

Mais informações: (47)3028-0603 ou    (47)9229-6696   whats                                         

Rua Pedro Mayerle, 119. Bairro Anita Garibaldi. Joinville/SC

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *